Operação resgata 42 em situação de trabalho escravo no Amazonas

Trabalhadores de fazendas em Boca do Acre receberam verbas rescisórias

Priscila Trindade, estadão.com.br

27 Julho 2011 | 09h40

SÃO PAULO - O Ministério Público do Trabalho no Amazonas resgatou 42 trabalhadores, entre eles seis adolescentes com idades entre 15 e 16 anos, que foram encontrados em situação análoga a de trabalho escravo, no município de Boca do Acre, no interior do Estado. A operação foi realizada entre os dias 12 a 22 de julho.

 

As irregularidades foram constatadas durante fiscalizações em duas fazendas do setor agropecuário. As condições de trabalho eram precárias. Os trabalhadores rurais não tinham alimentação e alojamento adequados, e nem acesso a água potável.

 

Segundo a procuradora do Trabalho, Alzira Costa, os trabalhadores rurais de Boca do Acre eram enganados por falsas promessas e ainda tinham que pagar pelos equipamentos de proteção individual, caso quisessem usar.

 

Os trabalhadores resgatados receberam além das verbas rescisórias, valores arbitrados por dano moral. Ao todo, os fazendeiros pagaram mais de R$ 255 mil.

 

Os fazendeiros ainda firmaram termos de ajustamento de conduta no qual se comprometeram a corrigir todas as irregularidades trabalhistas em especial as relacionadas a saúde e segurança dos trabalhadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.