Operação Saturação vai cumprir 23 mandados de prisão

Pela quinta vez a Polícia Militar de São Paulo realiza a "Operação Saturação", que já ocupou as favelas Paraisópolis, Jardim Elba e Tamarutaca, em Santo André, Pantanal e no Guarujá. Desta vez, o alvo é o chamado Complexo da Funerária, onde estão as favelas Funerária, Nova Tietê e Cidade Nova, onde devem ser cumpridos 23 mandados de prisão. "Já sabemos o que fazem, e onde moram", disse o coronel Joviano Conceição Lima, responsável pela operação. O objetivo da ação é desestruturar o tráfico de drogas na região, mas também reduzir o índice de roubos, crime mais comum no local. A polícia também vai abordar outras 153 pessoas, egressas do sistema prisional. "Em princípio, essas pessoas não devem nada à polícia, mas sabemos que atuam no crime", disse Lima. De acordo com um levantamento do Sistema de Inteligência da PM, entre outubro de 2005 e janeiro deste ano, houve, na região, 105 roubos a transeuntes, 54 roubos de veículos, 21 roubos de cargas e 19 roubos dentro do complexo. A operação começou com a tomada de um ponto crítico de Cidade Nova, segundo Lima. Na chegada da PM à favela, policiais desceram por cordas do helicóptero águia. Além disso, cerca de 24 oficiais da Cavalaria estão nos entornos do complexo, como forma de intimidar a população. "É uma intimidação para mostrar a presença da polícia", disse o coronel. A região ficará ocupada por cerca de 115 policiais da Cavalaria, Canil, Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) e Comando de Operações Especiais (COE). Até agora, apenas duas pessoas foram presas, por estarem com uma pequena quantidade de maconha. Às 17 horas, a PM se reunirá com líderes comunitários da região para explicar o funcionamento da Operação, que deve durar dois meses, como aconteceu das outras vezes. A operação também enfatiza o trabalho social e comunitário. A partir de 6 de março, será montado o Centro Odontológico da PM e serão realizadas palestras de prevenção às drogas, doenças de mama, doenças sexualmente transmissíveis, e apresentações do Canil da PM e do Regimento de Cavalaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.