Washington Alves/Reuters
Washington Alves/Reuters

Operadoras fornecerão dados do sinal de celular de vítimas em Minas

Decisão se estende aos clientes que estavam em um raio de 20 quilômetros da Mina de Córrego de Feijão

Agência Brasil, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2019 | 02h23

A Justiça Federal de Minas Gerais acatou pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) e determinou que as operadoras de telefonia móvel forneçam dados sobre os sinais de aparelhos de clientes que estavam na região afetada pelo rompimento da barragem de rejeitos da mineradora da Vale, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

A decisão se estende aos clientes que estavam nas imediações da Mina de Córrego de Feijão entre a meia-noite de quinta-feira (24) e o mesmo horário do dia seguinte, num raio de 20 quilômetros, diz a AGU em nota.

As empresas de telefonia que deverão cumprir o pedido são: Vivo, Tim, Claro, Oi, Nextel, Algar Telecom e Sercomtel.

O advogado da União Marcus Castro, que atuou no pedido, explica que a autorização judicial é necessária porque o sigilo das comunicações é protegido pela Constituição. No momento, contudo, a busca por sobreviventes é prioridade. “Com essa informação, as equipes de socorro podem saber quais aparelhos se mantiveram ativos após a tragédia, e quais estão inativos desde então.”

Segundo postou nas redes sociais o advogado-geral da União, André Mendonça, “as informações devem ser repassadas com urgência pelas empresas diretamente para os órgãos envolvidos nas operações de socorro e resgate: Forças Armadas, Defesa Civil de MG, Corpo de Bombeiros de MG, Polícia Militar de MG, Vale e para a Prefeitura de Brumadinho”./ Agência Brasil

 

Mais conteúdo sobre:
Brumadinho [MG]barragem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.