OPINE: o método de escolha das novas maravilhas foi certo?

Diferentemente da lista elaborada pelo filósofo grego Filon de Bizâncio com as sete maravilhas da Antigüidade, em 200 antes de Cristo, a votação que escolheu o Cristo como uma das sete novas maravilhas do mundo pôde ser feita pela internet, no site da Fundação New7Wonders, e por ligações telefônicas. A escolha representa mais de 100 milhões de votos, que apontaram os monumentos os mais representativos, entre 19 finalistas selecionados por uma equipe de arquitetos, com base em critérios de beleza, complexidade, valor histórico, relevância cultural e significado arquitetônico - o que gerou bastante polêmica. Monumentos famosos como a Torre Eiffel, a Estátua da Liberdade e a Acrópole grega ficaram de fora da lista. Na sua opinião, o método de avaliação foi correto? Clique aqui, dê sua opinião e leia comentários de outros internautas

09 Julho 2007 | 17h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.