Oposição, com adesão do PMDB, vai ao TSE pedir apuração de operação-abafa

Os presidentes do PSDB, senador Tasso Jereissatti (CE), do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), e do PPS, deputado Roberto Freire (PE), acompanhados de última hora pelo presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), visitam o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na manhã desta terça-feira.A intenção é a de pedir a investigação da denúncia, feita pela revista "Veja", de que o governo teria montado uma operação para abafar a apuração de responsabilidades na montagem de um dossiê por petistas para prejudicar candidatos do PSDB.O anúncio da ida ao TSE, feito na segunda por Jereissatti, não mencionava Michel Temer, mas, nesta manhã, o comitê de campanha do candidato presidencial da coligação PSDB-PFL, Geraldo Alckmin, confirmou que o presidente do PMDB acompanhará os outros três.Entre as providências que os quatro dirigentes partidários pedirão ao TSE está a convocação do ministro da Justiça, Mário Thomaz Bastos, para dar explicações.Segundo a denúncia, um dos principais objetivos da suposta operação-abafa seria o de isentar Freud Godoy, ex-segurança do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de participação na montagem do dossiê. Jereissatti, Bornhausen, Temer e Freire devem ir também à Polícia Federal firmar posição contrária a eventual uso político da instituição, e à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para pedir que a entidade acompanhe as investigações sobre o dossiê.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2006 | 11h19

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.