Oposição diz sofrer ameaças constantes

ANALÂNDIA

José Maria Tomazela ENVIADO ESPECIAL / ANALÂNDIA, O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2010 | 00h00

O grupo ligado ao ex-prefeito José Roberto Perin domina a política de Analândia há quase 20 anos e registra um histórico de ameaças e agressões contra adversários políticos. Antes de morrer, o vereador Evaldo Nalin tinha protocolado no Ministério Público várias denúncias contra a administração e contra Perin, entre elas superfaturamento de obras, desvio de dinheiro público e transferência ilegal de eleitores.

Anteriormente, um comerciante local, José Angelo de Matos, simpatizante da oposição, perdeu o olho num suposto assalto até hoje não esclarecido. A ex-presidente da ONG Amigos Associados de Analândia, Sonia Maria Dotta, teve a casa apedrejada e recebeu outras ameaças. O ex-presidente da Câmara, Leandro Santarpio, renunciou ao cargo e abandonou a política depois de receber ameaças.

Uma das testemunhas que depuseram sobre a morte do vereador contou ao delegado Marcos Fuentes que foi abordada por Luiz Perin depois de prestar depoimento. Ele teria tentado colocar a testemunha à força no carro. A pessoa ficou assustada. Essa conduta, segundo o delegado, reforçou a suspeita de ligação com o crime, "mas existem outros indícios".

A mulher do vereador assassinado, Kátia Nalin, saiu da cidade com os filhos e disse que tem medo de voltar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.