''Oposição é irresponsável ao defender mínimo maior''

Reoberto Brant, EX-MINISTRO DA PREVIDÊNCIA NO GOVERNO FHC

Julia Duailibi, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2011 | 00h00

O ex-deputado Roberto Brant (DEM), ministro da Previdência no governo FHC, diz ser "quase molecagem" a oposição defender o mínimo de R$ 600.

O que acha da proposta do PSDB de um mínimo de R$ 600?

Aumentar o salário mínimo este ano, para além desse valor (R$ 545), é uma catástrofe para a frente. Já estamos com a inflação escalando, perigosíssima. Diante disso, a presidente tem de ser austera, enfrentar as centrais sindicais. Agora vem a oposição e fala que se pode aumentar. Isso é de uma irresponsabilidade. É quase uma molecagem. E tem um desequilíbrio fiscal que já foi intensificado no ano passado. Se o Lula foi irresponsável para ganhar a eleição, a gente não pode se vingar do Lula se vingando do povo.

A oposição age como setores do PT faziam no passado, com interesses eleitorais?

Não é de agora. Quando o Lula fez a reforma da previdência, tive de lutar contra meu partido. Era um passo a mais na reforma do FHC. A oposição no Brasil se caracteriza pelo oportunismo. Tem sido assim. Considero isso uma loucura. Se a Dilma ficar do nosso lado, temos que apoiá-la, contra a CUT, contra o Paulinho, da Força. Ou vamos ficar do lado do Paulinho? Só pelo fato de ele estar lá, é sinal de que nós deveríamos estar do outro lado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.