Oposição quer ouvir Mantega sobre vazamento

A oposição se mobiliza para manter em pauta o vazamento do sigilo fiscal de tucanos ligados ao candidato do PSDB à Presidência, José Serra. Ontem, o vice-líder do partido no Senado, Álvaro Dias (PR), aproveitou o último esforço concentrado na Casa antes das eleições para apresentar na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) requerimento no qual pede convocação do ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Ana Paula Scinocca / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2010 | 00h00

"O sistema é vulnerável e nenhuma providência é tomada", afirmou Dias. "É um governo que abriga em seus subterrâneos marginais." Presidente da CCJ, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) disse que, se houver quórum, colocará o requerimento de Dias em votação hoje. "Estamos vendo no Brasil uma vulgarização das quebras de sigilo", disse Demóstenes. "Tudo é feito com o objetivo de manter um grupo no governo. Isso é um crime praticado em regimes ditatoriais. Queremos no Brasil uma ditadura civil?"

Ontem, a oposição esperava o depoimento do corregedor da Receita, Antonio Carlos Costa D"avila. Ele não apareceu, alegando que a investigação corre em segredo de Justiça. Também era esperada a presença do ex-servidor do Planalto Demetrius Sampaio Felinto, que alegou estar sendo vítima de ameaças, mas se dispôs a falar em sessão fechada.

Segundo reportagem da revista Veja, Felinto teria fitas que comprovariam o encontro da ex-secretária da Receita Lina Vieira com a então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Na ocasião, Dilma teria pedido para que a Receita não investigasse a família Sarney. Dilma nega o encontro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.