Oposição representará contra presidente

Na quinta-feira, Lula fez pronunciamento em cadeia nacional para falar sobre o Dia do Trabalho

Ana Paula Scinocca, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2010 | 00h00

PSDB, DEM e PPS vão entrar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na próxima segunda-feira. A oposição alega que Lula fez propaganda eleitoral ao usar a cadeia nacional de rádio e TV para pronunciamento à população por conta do Dia do Trabalho.

Ao falar em rede nacional, na quinta-feira, Lula exaltou, em tom de despedida, resultados de sua gestão. Defendeu a continuidade e disse que o atual modelo de governo pertence ao povo, "que saberá aprofundá-lo com trabalho honesto e decisões corretas". Até o PAC, plataforma eleitoral de Dilma, foi citado.

"Que a Dilma precisa de ajuda, todo mundo sabe. Mas usar dinheiro público para isso é inconcebível e inaceitável", afirmou o advogado do PSDB, Ricardo Penteado, que assina a representação contra o presidente.

"Escancarada". Futuro líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR) subiu à tribuna para reclamar do que chamou de propaganda "explícita e escancarada". "As afirmações do presidente são uma afronta à lei", disse. "Aquilo não foi uma campanha subliminar. Foi escancarada, proselitismo a favor da candidata dele e uso da máquina pública."

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), resumiu: "Foi mais uma etapa da campanha eleitoral com o uso do dinheiro público." Presidente do DEM, o deputado Rodrigo Maia (RJ) classificou o pronunciamento como um "discurso político". "Aquilo foi um verdadeiro horário eleitoral gratuito. O presidente deveria ter feito aquele discurso no dia 13 de maio, quando vai ao ar o programa do PT."

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) cobrou posicionamento firme do TSE e disse que Lula aprendeu a desrespeitar a Justiça Eleitoral. / COLABOROU JULIA DUAILIBI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.