Ordem para matar diretor de CDP pode ter saído de presídio

A ordem para matar Wellington Segura, diretor do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá, na Grande São Paulo, pode ter saído de um presídio no interior paulista. Investigações mostram que o crime foi ordenado por presos de Presidente Venceslau, no extremo oeste do Estado, segundo o SPTV, da TV Globo.Nesta penitenciária, estão alguns dos chefes do Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa que ordenou os ataques em São Paulo em maio de 2006. Segura morreu na última sexta-feira, em uma emboscada, em Mauá, ao deixar uma funcionária do CDP em casa. De acordo com a polícia, os detentos de Mauá se queixaram do rigor com que eram tratados, e pediram a intervenção dos chefes da organização criminosa. Nesta terça, o retrato falado de um dos assassinos de Segura foi comparado com as fotos de homens procurados pela polícia. O suspeito foi identificado, mas o nome não será revelado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.