Organista quer vender instrumento de US$ 1 milhão

Thereza Pimenta Hollnagel fez fama internacional como organista e, hoje, aos 80 anos, não sabe o que fazer com seu órgão tubular, avaliado em quase US$ 1 milhão. É bastante dinheiro. Por isso, chamou o corretor de negócios Eduardo Vidigal Crissiuma para ajudar a vendê-lo. "Estou com idade e não posso mais continuar morando tão distante do centro de São Paulo. Quero vender a chácara, ir para um apartamento e não posso levar o órgão comigo", conta Thereza, entristecida pela distância que a separa de uma vida mais agitada. "Adoro ir ao cinema, teatro, recitais e concertos; preciso ficar mais perto do agito", diz. Leia mais no JT

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.