Organizadores da Parada Gay vão reduzir gastos em 29%

A 13ª Parada do Orgulho Gay, no dia 14, será realizada com menos recursos e menos segurança do que nos outros anos. A Polícia Militar reduziu de 1,4 mil para 1,2 mil policiais o efetivo que vai atuar durante o evento. E a dificuldade para conseguir patrocínio fez os organizadores baixarem a previsão de gastos para R$ 760 mil. Em 2008, o orçamento foi de R$ 1,07 milhão (29% a mais). O público esperado é o mesmo: 3,5 milhões de pessoas devem passar pela Avenida Paulista durante o evento.Cerca de 85% dos recursos arrecadados até agora vêm de órgãos federais - os mesmos que bancaram a Parada Gay do ano passado: Caixa Econômica, Ministério do Turismo e Petrobrás, além de parcerias com a Prefeitura de São Paulo e o governo estadual. Os organizadores esperam ainda conseguir R$ 70 mil com expositores e trios elétricos, além de R$ 35 mil com parceiros privados.Mesmo assim, faltarão R$ 85 mil para completar o orçamento previsto. "Já cortamos muita coisa e, se não conseguirmos recursos, teremos de cortar as campanhas também", disse o coordenador do mês do Orgulho Gay, Manoel Antônio Zanini. Segundo ele, a previsão inicial de gastos era de R$ 1,6 milhão. Zanini chegou a se emocionar, ontem, ao falar do orçamento deste ano. O número máximo de trios elétricos permitidos no evento é de 23. Mas a organização ainda não sabe se conseguirá essa quantidade de carros. Também está em discussão com a Prefeitura, a possibilidade de deixar um trio parado na avenida, com computadores que tenham acesso à internet.Haverá um abaixoassinado virtual em favor do projeto de lei que torna crime a homofobia no País. O texto tramita há oito anos no Congresso e corre o risco de ser derrubado. "Defender esse projeto é uma das metas do nosso movimento e da Parada deste ano", disse o presidente da Associação da Parada Gay, Alexandre Santos. O tema da Parada é "Sem Homofobia, mais cidadania."Neste ano, com as obras da Linha Amarela do Metrô, entre a Paulista e a Rua da Consolação, o percurso dos trios elétricos sofrerá uma pequena mudança. O trajeto na Paulista será feito na "contramão", para que os carros possam contornar a obra do Metrô e pegar a faixa direita da Consolação. As interdições serão divulgadas só na semana do evento. A programação do mês do Orgulho GLBT pode ser conferida em www.paradasp.org.br

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.