Orla de Santos vai ganhar ciclovia

O principal cartão-postal de Santos vai mudar. O amplo jardim da orla, citado no Guinness Book, vai receber uma ciclovia de 5 quilômetros, que custará R$ 4 milhões à prefeitura. A idéia dessa obra é antiga, mas uma série de fatores impedia sua realização.O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) havia vetado o projeto, que, mais recentemente, teve de ser submetido ao Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat).O órgão, que iniciou processo de tombamento dos jardins, acaba de autorizar a ciclovia. As obras devem ser iniciadas em 60 dias e concluídas no fim do ano. O prefeito Beto Mansur (PPB) explicou que havia três projetos para a ciclovia.O primeiro passava na faixa de areia, rente ao jardim, outro pela ilha da avenida da praia e o último, o que vai ser construído, entre a calçada e o jardim. "Esse projeto é o que interfere menos e haverá aumento da área arborizada. A obra é muito esperada pela população."Com a autorização do Condephaat, a prefeitura deve abrir a licitação nos próximos dias para a realização da obra. A ciclovia vai estender-se do canal 1 ao 6 e não deve alterar as características do jardim da praia. Serão removidos 13 dos 702 chapéus de sol existentes, mas outras espécies, inclusive frutíferas, serão plantadas.Cercas vivas vão separar ciclistas e pedestres. Essas cercas e outras faixas ajardinadas aumentarão em 1.200 metros quadrados a área verde da orla. O deputado estadual Edmur Mesquita, autor do pedido de tombamento do jardim, acha que não há incompatibilidade entre a ciclovia e a preservação do cartão-postal da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.