Oscilação de energia

Numa sexta-feira de junho, minha casa parecia aquelas de filme de terror. Um serviço da AES Eletropaulo num poste transformou a energia de 110 para 220 volts. Por causa disso as lâmpadas estouraram, a televisão ligava sozinha e havia luz estroboscópica em todos os ambientes. Foram queimados o computador, o micro-ondas, a central telefônica, a televisão, o rádio e várias lâmpadas. Fui à agência da Eletropaulo mais próxima para registrar o prejuízo e soube que a Resolução n.º 61 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) determina o prazo de até 90 dias para a concessionária finalizar a análise do pedido de indenização. Um absurdo! Não posso ficar sem computador, terei de consertá-lo! JOSÉ BLOTA NETO São Paulo A AES Eletropaulo informa que a solicitação do pedido de indenização do sr. Blota está dentro do prazo para análise (45 dias, conforme prevê a resolução da Aneel). Esclarece que a queima de aparelhos pela rede de energia elétrica ocorre quando há danos evidentes em componentes relacionados ao circuito de entrada de energia elétrica ou ocasionados por ação direta de descargas atmosféricas (raios) na casa do cliente ou condução por indução em sistema de antena, TV a cabo ou rede de telefonia, não passíveis de ressarcimento pela concessionária. O pedido de ressarcimento é indeferido se os aparelhos forem reparados antes do término desse prazo (salvo nos casos em que houver prévia autorização da concessionária) ou quando for comprovado que a descarga elétrica que danificou o equipamento não foi conduzida pela rede de distribuição de energia (causada por terceiros ou por questões naturais). Alteração de voo Minha namorada e eu compramos duas passagens São Paulo-Vitória da TAM para o dia 12 de junho, saindo de Congonhas às 11 horas. Um dia antes do embarque fomos informados pela TAM que o voo fora remanejado para as 14h50. Não aceitamos, pois tínhamos um compromisso, e a funcionária nos colocou no voo das 8h40. Depois de aceitar a mudança, descobri que sairíamos do Aeroporto de Guarulhos, não mais de Congonhas. Disse que a empresa deveria pagar um táxi para levar-nos ao aeroporto, já que a corrida custa quase o preço da passagem. Com displicência, a atendente respondeu que não havia essa possibilidade e que, se eu quisesse, poderia pegar um ônibus da companhia em Congonhas. Para isso, teria de acordar às 5 horas, por isso não aceitei. Informei que iria fazer uma queixa sobre esse procedimento e pedir ressarcimento dos gastos. FERNANDO FELLER São Paulo A gerente de Relações com a Imprensa da TAM Linhas Aéreas, Carla Dieguez, informa que a equipe do Fale com o Presidente entrou em contato com o sr. Feller para esclarecer que, quando há necessidade de ajuste na malha aérea da companhia, o sistema de reservas automaticamente reacomoda os passageiros nos voos mais próximos do original. Se a reserva foi feita diretamente com funcionários da TAM, eles entram em contato com o cliente, com a maior antecedência possível. O leitor contesta: Menos de 24 horas antes do embarque é tempo suficiente para entrar em contato? Não pagar o táxi até Guarulhos, já que comprei passagem com saída de Congonhas, é atitude decente? A resposta que eles enviaram esclareceu essas indagações? A maneira como fui tratado pelos atendentes é justificável? Acho que não. Vou acionar a companhia judicialmente. Concerto da Osesp Todos os ingressos para o concerto especial da Osesp nesta quinta-feira, na Sala São Paulo, já estavam esgotados mesmo antes de os assinantes receberem o comunicado que anunciava o evento. Aqueles que, por meio das suas assinaturas, contribuem o ano todo para o sucesso da orquestra ficaram na mão. LUIZ DELLA NINA DEGRANDE São Paulo A Fundação Osesp esclarece que a venda de ingressos para o concerto comemorativo dos 10 anos da Sala São Paulo seguiu rigorosamente a política de venda de ingressos para os demais concertos da Osesp, sendo amplamente divulgada em veículos de circulação nacional. No dia 10 de junho, todos os assinantes receberam informativo por e-mail comunicando a abertura da bilheteria. A partir do dia 12 de junho, foram veiculados anúncios em jornais e revistas comunicando o evento ao grande público. No dia 15 de junho, data de início das vendas, o mesmo comunicado foi publicado no site www.osesp.art.br. Dois dias depois, a comunicação com os assinantes foi reforçada com o envio de nova mensagem. As vendas foram encerradas somente no dia 26 de junho, quando os ingressos se esgotaram. As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

, O Estadao de S.Paulo

08 Julho 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.