Ouro Preto adota rodízio de abastecimento de água

Nível de chuva está 60% abaixo do esperado, afirma meteorologista do Instituto TempoClima, da PUC-Minas

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

20 Janeiro 2015 | 22h12

BELO HORIZONTE - O baixo nível dos mananciais causado pela escassez de chuva e agravado pelo calor levou a prefeitura de Ouro Preto a adotar um rodízio no abastecimento de água da cidade. O problema ocorre em plena temporada chuvosa por causa do índice pluviométrico bem abaixo do esperado para o período. A histórica cidade localizada a 98 quilômetros de Belo Horizonte, na região central de Minas, é uma das mais procuradas por turistas no Estado.

Segundo o Serviço Municipal de Água e Esgoto (Semae) de Ouro Preto, alguns bairros recebem água em escalas de horários, que vão das 18h até as 12h do dia seguinte, em alguns casos, e das 18h às 7h, em outros. Além do esquema de horários, o Semae também adotou um revezamento em determinadas regiões da cidade. Em bairros como Santa Cruz, Taquaral, Piedade e áreas próximas a água chega em dias ímpares. Já nos bairros Santa Efigênia, Padre Faria, Antônio Dias e áreas próximas o abastecimento ocorre em dias pares.

Em nota oficial divulgada para a população, o Semae informou que a medida foi adotada para "manter o abastecimento regular e igualitário em todos os bairros". "A baixa dos níveis de água dos mananciais ocasionada pela intensa estiagem e o aumento das temperaturas fazem com que seja necessário criar formas de enfrentar esse quadro", diz o texto. Apenas nas partes da cidade que estão em área "menos montanhosa" o abastecimento continua normal, mas o órgão ressaltou que "em casos pontuais" o abastecimento será feito por caminhão-pipa. E orientou moradores e visitantes a realizarem atividades "que necessitam de um consumo maior de água" apenas "nos dias e horários em que é feito o abastecimento".

De acordo com o meteorologista Dayan Diniz de Carvalho, do Instituto TempoClima da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), o problema da escassez de chuva atinge todo o Estado. Segundo Carvalho, "de forma geral", até esta terça-feira, 20, o nível de chuva em Minas estava cerca de 60% abaixo do esperado. "A gente está com anomalia negativa em todo o Estado. Em Minas há uma má distribuição de chuva. Pontualmente, onde choveu mais foi na região oeste, onde choveu cerca de 40% do esperado. Mas há regiões onde não choveu nada", observou.

Ainda segundo Carvalho, ainda há expectativa de chuva nos próximos dias em algumas regiões do Estado e o meteorologista acredita que o revezamento no abastecimento em Ouro Preto tem foco maior no movimento turístico. "Penso que é mais uma questão comercial do que uma preocupação com a população. No meu entendimento, (a medida) é mais para atender o pessoal que vai chegar no carnaval", disse. Na prefeitura do município, ninguém foi encontrado para falar sobre a questão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.