Outra central telefônica do PCC é desativada em Ribeirão

Após 15 dias de investigação, a polícia de Ribeirão Preto desativou, na manhã desta terça-feira, outra central telefônica utilizada para comunicações entre presos de cadeias e penitenciárias do Estado ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC). Foram apreendidos três aparelhos de telefone e presas duas mulheres, autuadas em flagrante por formação de quadrilha e que ficarão no Presídio Feminino de São Simão.O delegado Paulo Pereira de Paula, do Setor de Patrimônio daDelegacia de Investigações Gerais (DIG), comandou a operação quedesativou a central telefônica. Dos três aparelhos apreendidos, um era usado para transferir as ligações entre os vários presídios do Estado. Maria Cristina Souza Rocha, que tinha passagem pela polícia por facilitação de fuga, e Daniela de Oliveira foram as mulheres detidas.Essa é a quarta central telefônica descoberta em Ribeirão Pretoneste ano. Na anterior, em julho, desativada pela polícia de Franca,que prendeu três traficantes após escuta-telefônica autorizada pelaJustiça, foi descoberta que presos da Cadeia de Vila Branca pediamdrogas e pizzas por telefones celulares de suas celas. O caso virou um escândalo e o governador Geraldo Alckmin (PSDB) desativou a cadeia no início de agosto. Na desativação, não foram descobertos novos planos criminosos articulados entre bandidos de dentro dos presídios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.