Outras áreas foram refeitas

O problema de calçadas malfeitas e que depois precisam ser recuperadas não é novidade em São Paulo. A reforma das calçadas da Avenida Paulista, um projeto de R$ 8,1 milhões e que serviria como modelo para as demais, precisou ser refeita em alguns trechos poucos meses depois de inaugurada. As obras começaram em julho de 2007. Em fevereiro do ano seguinte, quatro meses após o primeiro trecho ser entregue - entre a Praça Oswaldo Cruz e o Hospital Santa Catarina -, já havia diversas rachaduras. Na ocasião, o próprio prefeito Gilberto Kassab ordenou que os trabalhos fossem refeitos. Também houve problemas na calçada da Avenida Bernardino de Campos, que liga a Rua Vergueiro à Avenida Paulista e faz parte do conjunto. Além disso, uma parte da calçada teve o novo piso retirado para que o antigo, de mosaico português, fosse recolocado, porque o Departamento de Patrimônio Histórico (DPH) determinou que 6 dos 12 prédios, entre tombados e em processo de tombamento, tivessem uma faixa reservada para o modelo antigo. Por causa de todos consertos, a reforma das calçadas, prevista para ficar pronta em abril do ano passado, só terminou em julho.A Rua Augusta também recebeu um novo piso em janeiro de 2007, que deveria ser mais ecológico, absorvendo toda a água da chuva. Os blocos, no entanto, afundavam e não fixavam no lugar. Além disso, os comerciantes reclamavam que ele permitia que a água entrasse nas lojas com mais facilidade . A Prefeitura também precisou fazer diversos reparos na obra. E novamente enfrenta problemas na região dos Jardins.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.