Outras três vítimas do vôo 1907 foram enterradas

Quatro das sete vítimas da região de Campinas que estavam no avião da Gol, um Boeing 737, vôo 1907, que colidiu com um jato Legacy no último dia 29, foram identificadas e, três delas, enterradas neste sábado. O avião caiu em uma área de mata fechada em Mato Grosso e causou a morte de 154 pessoas. O executivo da Bombardier, Plínio Siqueira Júnior, e a engenheira agrônoma e pesquisadora do Instituto Agronômico (IAC), Marilene Leão Alves Bovi, foram enterrados em cemitérios no Jardim Gramado. Siqueira Júnior foi sepultado no cemitério Parque Flamboyant, por volta de 12h30, e Marilena, por volta de 13h30, no Parque Aléias. O empresário Antonio Gregório da Costa Pessoa, de Americana, também foi enterrado neste sábado. A quarta vítima da região identificada, o programador de informática Michel Guimarães Rondini, teve o corpo encaminhado para o crematório da Vila Alpina, zona leste de São Paulo. O corpo deverá ser cremado na segunda-feira, 9. As outras três vítimas que moravam na região ainda não foram identificadas. O irmão de Plínio Siqueira Júnior, Mauro Siqueira, criticou o governo federal por falta de infra-estrutura para militares buscarem os corpos no local do acidente. Siqueira integra a Comissão de Familiares dos Passageiros do Vôo 1907. Segundo ele e sua irmã, Luciana Siqueira, o objetivo da comissão é buscar agilidade na identificação e liberação dos corpos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.