Outro assassino de meninas horroriza a Bélgica. Matou seis

Num caso repleto de coincidências com os terríveis abusos e assassinatos perpetrados por Marc Dutroux, a polícia belga revelou, hoje, que um francês recluso, que trabalhou como policial florestal, foi responsável pelo rapto e morte de pelo menos seis meninas.Magistrados de três cidades belgas ? Liège, Namur e Dinant ? anunciaram que Michel Fourniret, de 62 anos, admitiu os crimes. Uma das meninas é Elisabeth Brichet, que tinha 12 anos quando desapareceu há 15 anos, perto de Namur, uma cidade a 45 quilômetros ao sul de Bruxelas. As outras cinco eram francesas.?Ele descreveu como raptou Elisabeth Brichet e como a matou e enterrou o corpo, numa floresta perto de sua casa, em Charleville Mezières (uma cidade francesa perto da fronteira da Bélgica),? disse o investigador de Namur, Cédric Visart de Bocarme.Segundo ele, Fourniret também admitiu o seqüestro, estupro e morte de cinco outras garotas, todas francesas e presumivelmente enterradas da mesma forma.?Infelizmente, temos de usar escavadoras para encontrar os corpos?, disse Bocarme aos jornalistas.A polícia prendeu Fourniret, que tem passaporte francês, em julho do ano passado, sob a acusação de seqüestro e abuso sexual de uma adolescente de 14 anos que conseguiu fugir do porta-malas de sua van.As autoridades belgas, trabalhando com funcionários da Justiça francesa, chegaram a esses crimes na semana passada, quando a mulher de Fourniret, Monique Olivier, de quem está separado, disse-lhes que seu marido podia haver matado mais de nove garotas. Monique também está presa, sob acusação de ser cúmplice dos crimes.?Seu papel é comparável com o de Michelle Martin (ex-mulher de Dutroux) e ela se encontra numa situação similar?, disse a policial. Martin foi sentenciada a 30 anos de prisão por seu envolvimento nos seqüestros e assassinatos de garotas.A investigação está prestes a tornar-se a maior desde que os crimes de Dutroux chocaram a Bélgica em 1995. O caso envolveu, do mesmo modo, seqüestro, estupro e assassinato de seis meninas. Duas delas, que escaparam das garras do criminoso, testemunharam no julgamento que se encerro na semana passada.Francis Brichet, o pai de Elisabeth, considerou a notícia de que Fourniret matou sua filha doce e amarga ao mesmo tempo.?É um alívio, certamente, mas ainda não acabou?, disse ao canal de televisão VTM. ?Onde ele as enterrou? Nós ainda estamos procurando minha filha.?Reportagens de jornais belgas, mostram que Fourniret levava uma vida tranqüila na aldeia secular de Sart-Custinne, perto da fronteira sul da Bélgica com a França. Ele vivia lá com sua mulher e filho, que mudou-se para a França depois de sua prisão.Fourniret já foi preso uma vez na França e sentenciado a sete anos de prisão ? dos quais cumpriu apenas dois ? pelo rapto de uma garota. Depois disso, mudou-se para a Bélgica.As polícias belga e francesa estão tentando ligar Fourniret a dois outros seqüestros, estupros e mortes depois de enconrtar os corpos de mais duas meninas francesas - Celine Saison e Manaia Thumpong? nas florestas montanhosas dos Ardennes belgas, em 2001 e 2002, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.