Ouvidoria do Município recebe 200 ligações no primeiro dia

Em seu primeiro dia de funcionamento, a Ouvidoria-Geral do Município teve um número de telefonemas acima da expectativa. Às 15 horas, a equipe já tinha recebido mais de cem ligações, número que o ouvidor-geral, Benedito Domingos Mariano, esperava para o dia inteiro. O balanço no fim do expediente foi de 200 telefonemas com reclamações e denúncias. As mais graves foram sobre cobrança de propina nas regionais e no Sistema Integrado Municipal de Saúde (Sims), antigo PAS. Sessenta delas vão motivar abertura de procedimentos investigativos.Uma das primeiras providências de Mariano foi desativar o sistema Bina, que aponta o telefone do denunciante, instalado na antiga Corregedoria. A ouvidoria, porém, estimula a identificação completa do cidadão, com a garantia de que o nome não será passado para outro órgão da Prefeitura.A ouvidoria funciona de modo provisório na Rua Maria Paula, ao lado da Câmara. Mariano está no térreo, mas terá uma sala no primeiro andar. Os móveis são emprestados pela Secretaria dos Negócios Jurídicos. Gambiarras no sistema de telefones impedem a instalação no gabinete.Apenas cinco pessoas estiveram no local, considerado por Mariano mais adequado que o endereço da Ouvidoria da Polícia, em Higienópolis, onde ele trabalhou por cinco anos. "Aqui fica mais fácil para o cidadão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.