AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Ouvidoria investiga irregularidades nos serviços de limpeza

A Ouvidoria Geral do Município investiga possíveis irregularidades no serviço de limpeza executado pela Enterpa Ambiental S.A. A empresa pode ter recebido por serviços que não foram executados.Segundo o ouvidor-geral do Município, Benedito Mariano, 20 notas referentes a serviços executados nas regiões de Pinheiros e Butantã, na zona oeste, estão sendo analisadas, sob suspeita de irregularidades. Foi constatado que há contradições nas inspeções feitas por fiscais e engenheiros da Prefeitura. Em alguns casos, há duas vistorias sobre o mesmo serviço: uma atestando que houve a execução da limpeza e outra em que não foi realizado."Há uma contradição entre a inspeção feita pelo fiscal e a decisão final do engenheiro da Prefeitura", explicou Mariano. Segundo ele, o caso também está sendo analisado desde a semana passada pelo Departamento de Limpeza Urbana (Limpurb) e a investigação será concluída na próxima semana. As notas são de serviços realizados em janeiro e fevereiro do ano passado."Queremos verificar se a falha foi apenas administrativa ou se houve prejuízo para a Prefeitura nos pagamentos para a empresa", disse Mariano. Ele afirmou que todos os funcionários estão sendo ouvidos e está prevista uma acareação entre os servidores envolvidos. "Há uma contradição entre fiscais e engenheiros sobre a mesma inspeção", justificou. A Enterpa também deve ser convocada pela Ouvidoria nos próximos dias.Em nota oficial, a Enterpa nega irregularidades. No texto, a empresa afirma que não tem conhecimento sobre as denúncias e, por isso, não tem como analisá-las. A Enterpa também afirma que nunca recebeu dinheiro por serviços que não tenha prestado.Força-tarefaNa segunda-feira, haverá a primeira reunião da força-tarefa que vai investigar suspeitas de corrupção no governo. A reunião será no Palácio das Indústrias e vai definir as diretrizes sobre as investigações que serão realizadas em conjunto com o Ministério Público Estadual (MPE), Polícia Federal, Receita Federal e a Secretaria de Segurança Pública.Segundo Mariano, uma das prioridades será acabar com o comércio de produtos falsificados realizado por camelôs.

Agencia Estado,

29 de maio de 2002 | 16h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.