P-36: empresa italiana afasta hipótese de falhas

A empresa italiana Fincantieri - uma das maiores e mais sólidas companhias européias de projetos em construção naval - exclui categoricamente que possa ter havido falhas no projeto ou na construção da plataforma P-36. A Fincantieri, cuja sede fica em Trieste, foi a responsável pela construção da plataforma P-36, em Gênova. "Quando entregamos a P-36 ao armador em 1995, ela respondia a todos os requisitos estabelecidos pelas normas internacionais mais severas em vigor", declarou à Agência Estado o engenheiro Franco Frezza, responsável pelo setor de Relações Públicas da empresa, que em 200 anos de atividade construiu mais de 7 mil embarcações.As condições de segurança das estruturas da plataforma petrolífera, antes de ser entregue, foram avaliadas também pelo Registro Naval Italiano, sociedade de perícias técnicas que verificou as condições da P-36.Quem encomendou a plataforma para a Fincantieri foi a companhia escocesa Sana. Em Roma, a empresa possui apenas uma sala de representação e um advogado, Stefano Ciccioriccio, que se recusa a falar com a imprensa.Frezza diz que um acidente desse tipo não depende tanto da plataforma, mas das condições em que ela operava. "A plataforma foi modificada no Canadá, em 1997, para adaptá-la aos trabalhos que iria efetuar", disse, avisando que a empresa não tem conhecimento das modificações feitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.