Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

Pacheco e Lira pedem a Pazuello informação sobre cronograma de vacinação contra covid em 24h

Chefes do Legislativo querem ter atualizações sobre a produção de imunizantes contratados

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

09 de março de 2021 | 12h24

BRASÍLIA - Os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), cobraram do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informações em 24 horas sobre o calendário de vacinação contra a covid-19 no Brasil. Além disso, os chefes do Legislativo querem ter atualizações sobre a produção de imunizantes contratados para vacinar a população. Pacheco e Lira enviaram um ofício ao ministro pedindo respostas em "caráter de urgência".

A pressão ocorre diante do avanço da covid-19 no Brasil e do registro de novos casos de nova cepa do vírus. Na segunda-feira, 8, a média móvel diária de mortes causadas pela doença no País bateu recorde pelo décimo dia seguido, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. Esse tipo de média leva em consideração dados dos últimos sete dias e ficou em 1.540, com 1.114 novas mortes nas últimas 24 horas.

Com o avanço da doença, Estados e municípios voltaram a decretar medidas de isolamento, como fechamento de comércios e toque de recolher. As ações foram criticadas pelo presidente Jair Bolsonaro, que anunciou a antecipação do cronograma de doses da vacina produzidas pela Pfizer. Agora, a cúpula do Congresso quer saber do ministro qual é o calendário atualizado de vacinação dos brasileiros.

"Considerando a urgência que nos impõe a pandemia ocasionada pela disseminação do vírus SARS-CoV-2 e a crescente taxa de óbitos por dia em decorrência da covid-19, solicitamos a presteza de V. Exa. no sentido de encaminhar as informações acima requeridas no prazo de 24 horas, a fim de que as Casas do Congresso Nacional possam adotar as providências cabíveis no combate à pandemia", diz o ofício de Pacheco e Lira enviado ao ministro da Saúde.

No último dia 4, o secretário executivo da pasta, coronel Antônio Élcio Franco Filho, apresentou um cronograma no Senado prevendo a entrega de 414.991.800 de doses em 2021, incluindo as compras que o Ministério da Saúde ainda vai realizar no futuro, além de 161 milhões de doses em tratativas com laboratórios. Pacheco e Lira questionaram o ministro se essa estimativa está mantida. Além disso, querem saber quais são as razões para alteração em caso de mudança desse planejamento.

O ofício da cúpula do Congresso também questiona Pazuello sobre a produção nacional de vacinas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Instituto Butantan. Os presidentes da Câmara e do Senado perguntaram ainda sobre a aquisição de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), o princípio ativo das vacinas, e o risco de falta desse produto. A falta da matéria-prima impacta na entrega de doses pelos laboratórios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.