Padre acusado de exploração sexual em São Luís sai da prisão

O padre Félix Barbosa Carreiro, acusado de exploração sexual de adolescentes, foi libertado nesta sexta em São Luís, após 122 dias de prisão. Ele foi detido em novembro do ano passado em um motel de São Luís na companhia de dois adolescentes e um adulto. Por decisão judicial, ele vai responder ao processo em liberdade.O habeas corpus foi concedido pela juíza Ângela Salazar, da 11ª Vara Criminal, especializada em crimes contra a infância e adolescentes. No pedido, o defensor do padre, o advogado Paulo Cruz, argumentou que o prazo para a conclusão do processo criminal na Justiça esgotou."Desde o primeiro momento a prisão do Padre Félix era desnecessária por ele não representar nenhum perigo à sociedade. É um grande equívoco dizer que ele foi preso por pedofilia. Nenhuma criança foi encontrada com ele. A acusação é por exploração sexual de adolescente", disse Cruz. O padre não quis dar declaração à imprensa ao deixar a prisão.Ele foi preso na madrugada do dia 5 de novembro do ano passado. Antes do flagrante, ele já vinha sendo investigado pela delegada da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Ana Carla Silvestre. Segundo as investigações, o padre oferecia bebidas, ingressos para shows e outros atrativos para sair com os adolescentes. O padre admitiu ao ser preso que saía com os adolescentes mas nega ter mantido relações sexuais com eles.Durante a investigação vários outros adolescentes prestaram depoimento e cinco disseram ter mantido relações sexuais com o religioso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.