Padre acusado de pedofilia é encontrado morto em cela em Minas Gerais

Religioso, que foi citado no filme "Spotlight", foi preso na última sexta-feira e se suicidou

Leonardo Augusto, Especial para o Estado

07 de agosto de 2016 | 20h02

Belo Horizonte - O padre Bonifácio Buzzi, de 57 anos, foi encontrado morto na manhã deste domingo, 7, na cela de presídio de Três Corações, Região Sul de Minas, para onde foi transferido depois de ser preso na última sexta-feira, 5, na região norte do Estado de Santa Catarina.

Segundo o governo de Minas, o padre se suicidou. O religioso era procurado pela polícia por suspeita de pedofilia. A acusação contra o padre foi citada no filme "Spotlight", que narra sobre tentativas da Igreja Católica de acobertar casos de pedofilia cometidos por seus integrantes.

O padre já havia sido condenado a 20 anos de prisão por abusar de garoto de 10 anos em Mariana, Região Central de Minas. Ficou preso entre 2007 e 2015, quando passou a cumprir a sentença em liberdade. Porém, em 2016, a Polícia Civil teria recebido nova denúncia contra o religioso, que vivia em Três Corações. O padre teria se envolvido com duas crianças de 9 e 13 anos e, procurado pela corporação, fugiu para Santa Catarina.

Em nota, a Secretaria de Estado de Defesa Social afirmou que o corpo foi encontrado durante "procedimentos de liberação para a visitação". Conforme o texto, "Bonifácio se enforcou com uma "teresa" feita com um lençol. O detento deu entrada na unidade (de Três Corações) no dia 6 de agosto por meio de um mandato de prisão preventiva. Ele estava sozinho na cela. A unidade já abriu uma investigação preliminar para apurar o ocorrido. As polícias militar e civil foram acionadas".

Tudo o que sabemos sobre:
Igreja Católica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.