Padre acusado de pedofilia fica refém em rebelião

O padre Tarcísio Tadeu Spricigo, de 46 anos, preso desde novembro do ano passado por acusação de pedofilia, foi mantido como refém desde a noite deste sábado até às 9h desta segunda-feira durante arebelião dos presos da cadeia pública de Bauru, que se amotinaramdepois de ter descoberta uma tentativa de fuga. Três deles já haviam serrado as grades de uma cela e preparavam-se para escapar quando foram descobertos pelo cacereiro. Em protesto, abriram outras celas e foram para o pátio, onde queimaram colchões em protesto pela superlotação, exigindo a transferência para outros presídios. Construída nos anos 50, a cadeia de Bauru dispõe de 70 vagas mas, na hora da rebelião, abrigava 170 detentos. As autoridades disseram não ter nada por fazer, já que o CDP (Centro de Detenção Provisória) de Bauru estará concluído dentro de 40 dias, para abrigar os presos locais e de diversas cidades da região. No final do motim sete detentos foram levados ao pronto socorro municipal com escoriações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.