Padre é acusado de atentado violento ao pudor

O padre João Batista Rodrigues, de Nova Cantu, a 475 quilômetros de Curitiba, no centro-oeste do Paraná, está sendo acusado de atentado violento ao pudor.Ele teria feito carícias íntimas em pelo menos três meninos, entre 11 e 13 anos, que ajudavam nas celebrações de missa.O padre está desaparecido, mas o delegado Joaquim Antônio Figueira disse que enviaria ofício à Cúria Diocesana de Campo Mourão, pedindo que o sacerdote se apresente para ser interrogado.O bispo Mauro Aparecido dos Santos mandou avisar que não comentaria o caso por telefone. A denúncia chegou primeiramente ao Ministério Público, por meio da mãe de um dos meninos. A promotoria pediu então que fosse instaurado inquérito policial.O delegado regional de Ubiratã, que atende Nova Cantu, esteve no último sábado na cidade para ouvir o menino, que confirmou ter sido convidado pelo padre a ir à sua casa no dia 7 e que estepassou a praticar atos libidinosos.O delegado pediu que fossem feitos exames na criança, mas esta afirmou que não houve relação sexual. O delegado ouviu alguns vizinhos da casa paroquial que disseram haver, às vezes, algazarra na casa, com bebida e jogatina.Nesta terça-feira, Figueira ouviu mais dois meninos, acompanhados dos pais, e eles disseramque o padre também lhes fez carícias íntimas, sem no entanto haver relação sexual.Esses pais também representaram criminalmente contra o padre. O delegado foi autorizado pela Cúria a fazer uma busca na casa paroquial, mas nãofoi encontrado nada que reforçasse a suspeita de pedofilia ou pornografia."Há evidências de uma situação criada, mas sem provas, ficando apenas na palavra dascrianças", afirmou Figueira. Segundo ele, o bispo disse que a lei é para todos e que queria a apuração do caso.O delegado pediu à coordenação da pastoral da igreja uma relação de todos os ajudantesdo padre para eles serem ouvidos.

Agencia Estado,

26 de novembro de 2002 | 17h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.