Padre é condenado a 93 anos de prisão por pedofilia

O padre Alfieri Eduardo Bompani, de 60 anos, de Sorocaba, foi condenado nesta sexta-feira a 93 anos de prisão por abuso sexual contra meninos. A sentença foi dada pelo juiz Marcelo Siqueira, da 2a. Vara Criminal da cidade. O padre era vigário de uma paróquia na zona norte da cidade, quando surgiram as primeiras denúncias. Ele foi afastado das funções pelo bispo arquidiocesano dom José Lambert.Segundo o promotor do caso, Jose Júlio Lozano, os crimes vinham sendo cometidos há mais de 15 anos. O padre mantinha uma casa para o atendimento de crianças carentes e se aproveitava de sua ascendência sobre os menores para assediá-los. Dois diários em que Bompani relatou suas relações com as vítimas foram usados como prova contra ele. Algumas descrições estavam codificadas.O juiz considerou que o padre praticou as violências sexuais descritas por cinco das 14 vítimas que procuraram a polícia para denunciá-lo. As penas foram agravadas pelo fato de o padre ter exercido, na época, a direção da casa de assistência.Bompani já está preso desde o ano passado, quando a justiça decretou sua prisão preventiva. Apesar da condenação elevada, a justiça brasileira prevê uma permanência máxima de 30 anos na cadeia. Abramo Rubens Cutter, advogado do religioso, considerou a sentença rigorosa e acredita que poderá revertê-la nos tribunais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.