Padre é morto por suposto amante em Minas

A Polícia Civil mineira prendeu na madrugada desta quinta-feira quatro homens acusados de matar o padre José de Souza Fernandes,de 48 anos, que estava desaparecido desde a noite do último domingo. O padre, que era professor da Pontifíccia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), foi assassinado na região metropolitana da capital mineira com requintes de crueldade.A prisão dos acusados permitiu que o corpo do religioso, que haviasido encontrado na segunda-feira, fosse reconhecido por seusfamiliares. Segundo o chefe do Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp), Elson Mattos, o padre tinha um ?relacionamento amoroso? com o servente de pedreiro e garoto de programa Pedro Roberto Soares, de 23 anos, acusado de planejar e executar o crime ao lado de José Cláuudio da Silva Rocha, 21 anos, que está foragido. Eles queriam roubar a caminhonete do religioso e por isso arquitetaram o assassinato. CaronaOs acusados do crime, de acordo com o delegado, no domingo,após as 20h pegaram uma carona com o padre, que foi rendido eassassinado depois num local deserto. A princíppio, tentaram matá-lo por enforcamento, usando um torniquete de arame. Como o religioso ainda apresentava sinais vitais, levou dois tiros na cabeça.Os disparos estão sendo atribuídos a José Cláudio. Posteriormente, o acusado teria entrado na caminhonete e passado com o veículo várias vezes por cima do corpo da vítima, que foi encontrado por populares cerca de 24 horas depois do crime, em um loteamento no município de Sarzedo, na grande Belo Horizonte. Ele foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde deu entrada como desconhecido, já que estava totalmente desfigurado. Uma camisa, encontrada pela polícia no local do assassinato ajudou também no reconhecimento do corpo.No domingo, o sacerdote estava na casa de parentes, em Brumadinho, também na região metropolitana da capital mineira. Por volta das 20h, antes de retornar para sua residência, no bairro Tirol, região do Barreiro, em Belo Horizonte, ele fez o pedido de uma pizza num estabelecimento da cidade, mas não foi buscá-la.QuadrilhaTambém foram presos na madrugada de ontem o office-boyVanderson Alberto da Silva, de 19 anos, o pedreiro Paulo Céssar Gomes, 38 anos, e Aluíssio Costa Alves, 22 anos. Eles são acusados de receptação do latrocínnio e formação de quadrilha. A carteira e otelefone celular do religioso tambémm foram roubados. A caminhonete já foi recuperada pelos policiais. Segundo Mattos, nenhum dos quatro acusados que foram presos ontem tinha passagem pela polícia. Além de José Cláudio, outros trêss homens estão sendo procurados. BioéticaDoutor em teologia moral e filosofia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália, Fernandes atuava na PUC Minas há 15 anos e fundou, junto com outros teólogos, o Núcleo de Bioética dauniversidade católica. Era considerado uma referência nacional nesta área e dava aulas de filosofia, ética e cultura religiosa.?Sua ausência abre um enorme vazio não apenas pelas valiosascontribuições que sempre prestou à universidade e à arquidiocese como também pelo lastro de amizades que deixou?, comentou ontem o padre Geraldo Magela, reitor da PUC Minas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.