Padre é vítima de seqüestro relâmpago em Belo Horizonte

Um padre sofreu um seqüestro relâmpago e outros três foram mantidos reféns dentro da casa paroquial, na noite de segunda-feira, 3, em Belo Horizonte. O crime ocorreu na Igreja Nossa Senhora da Consolação, no bairro Santo Agostinho, região Centro-Sul da capital mineira.O padre José Maurício da Silva, de 44 anos, ficou três horas em poder dos seqüestradores, a maior parte do tempo dentro do porta-malas de seu próprio carro, um Palio. Os criminosos usaram o veículo para cometer diversos assaltos contra outros motoristas, postos de gasolina e lanchonetes.O padre foi rendido quando entrava com o carro na garagem da casa paroquial, por volta das 21 horas. No momento, uma missa terminava de ser celebrada ao lado da casa, na Igreja Nossa Senhora da Consolação. Depois de cometer os crimes, por volta de meia-noite, os seqüestradores retornaram ao local e renderam outras sete pessoas, entre os quais três padres. Um deles chegou a ficar sob a mira de um revólver, enquanto recolhia objetos de valor exigidos pelos criminosos. Foram levados um celular, R$ 420 em dinheiro e um notebook. No fim, os seqüestradores exigiram que o padre José Maurício os levasse de carro até o Morro das Pedras, favela da região Oeste de Belo Horizonte. As vítimas descreveram os bandidos como um adolescente de cerca de 16 anos e um homem que aparentava ter 20 anos. Os autores do crime ainda não foram identificados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.