Padre Pinto volta à cena e critica presidente da CNBB

O padre José Pinto dirigiu novas críticas à Igreja Católica e ao presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, o cardeal-arcebispo Dom Geraldo Majella Agnello, que chamou de "grosseiro" e disse que "não deveria ser bispo nem cardeal, pois não sabe ser pai". As críticas se referem ao fato do cardeal não ter "compreendido" suas atividades artísticas.Pinto foi afastado da Paróquia da Lapinha, no centro histórico de Salvador, em janeiro quando celebrou missa maquiado e fantasiado de orixá. Ele inaugurou na noite de quinta-feira, 23, uma exposição de quadros na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia e aproveitou para atacar os colegas da Igreja.Com uma roupa tão exótica como a que o levou a ser punido pela Arquidiocese de Salvador, o religioso dançou, enquanto os amigos cantavam "parabéns" pelo seu aniversário e relembrou de uma forma pouco convencional sua trajetória. "Minha vida aos 59 anos é uma vida ´loucona´, muito legal, muito plural, muito experimentada", declarou, se dizendo decepcionado com o Conselho da Congregação Vocacionista que dirige a Paróquia da Lapinha e teria trabalhado para afastá-lo de suas funções sacerdotais.O cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo está em Roma e não pôde comentar as críticas. Nenhum dirigente da Arquidiocese de Salvador quis falar sobre o episódio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.