Padre preso por abuso sexual no Mato Grosso do Sul

O responsável pela Paróquia Nossa Senhora Aparecida, situada em Aral Moreira, na divisa com o Paraguai e a 347 quilômetros de Campo Grande, padre Lúcio de Lima Lopes, 32 anos, está preso na Cadeia Pública de Ponta Porã. A prisão foi feita, ontem, por agentes da Delegacia daMulher que receberam denúncia anônima sobre exploração sexual praticada pelo religioso contra meninos paraguaios de 11 a 14anos, que cuidam de carros em troca de gorjetas, no centro de Ponta Porã, vizinha de Pedro Juan Caballero (Paraguai). Eleiniciou o sacerdócio em março de 2003.Os menores ouvidos hoje confirmaram o crime acrescentando que Lúcio costumava mandar bilhetes para que as crianças fosse até ele. No momento da prisão, foi encontrado um bilhete no bolso do acusado, oferecendo R$ 20,00 para um dos garotos.Disseram ainda não serem recentes os ataques do sacerdote que conseguia na maioria das "visitas" das pequenas vítimas,manter relações sexuais.Segundo o presidente do Tribunal Eclesiástico de Mato Grosso do Sul, padre Antônio Ribeiro Leandro, caso Lúcio sejacondenado pelo Poder Judiciário, será expulso da igreja. O caso poderá ser o segundo do gênero no Estado, porque no anopassado, Roosevelt de Sá Medeiros, que era padre na cidade de Bonito, Pantanal do Mato Grosso do Sul perdeu a batina, logoapós ser acusado por tráfico de drogas e exploração sexual de crianças.Essa modalidade de crime está sendo investigada em várias cidades da região sul do MS, principalmente em Ponta Porã, onde existe o maior número de denúncias. Segundo o delegado do Primeiro Distrito Policial daquele município, WaldirSiqueira Pinto, vários suspeitos estão sendo investigados, notadamente empresários conhecidos na cidade. Depois de reunidas todas as provas necessárias serão presos.Entre eles há uma mulher que faz o "agenciamento" de meninas de 10 a 15 anos. Existem 12 garotas vítimas da quadrilha, noConselho Tutelar.

Agencia Estado,

30 de abril de 2004 | 16h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.