Padre registrava em diário relação com adolescentes

Um diário apreendido pela polícia pode complicar ainda mais a situação do padre Alfieri Eduardo Bompani, de 57 anos, preso na última terça-feira em Sorocaba, sob a acusação de pedofilia.No caderno, onde o padre registrava seu dia a dia, foram encontrados relatos das práticas sexuais que ele mantinha com os adolescentes colocados sob seus cuidados. Algumas descrições são bastante pormenorizadas.A delegada Tânia Munhós Guarnieri, que preside o inquérito, disse que o conteúdo do diário confirma o que os adolescentes disseram à polícia. Dos dez garotos com idade entre 9 e 17 anos ouvidos até esta quinta, cinco afirmaram terem sido vítimas de abuso sexual praticado pelo padre.O diário será submetido a perícia grafológica. Entre os materiais apreendidos na casa do paroquial, há fotos de três garotos nus. Responsável pela paróquia de Nossa Senhora de Fátima, na Vila Mineirão, na periferia da cidade, Bompani desenvolvia um projeto de assistência a crianças e adolescentes usuários de drogas ou vítimas de violência doméstica.Ele começou a ser investigado depois que um menor, de 17 anos, denunciou a prática de abuso sexual, há cerca de um mês. A prisão do padre foi decretada pelo Juiz José Eduardo Marcondes Machado. Ele está recolhido numa cela especial no Centro de Detenção Provisória (CDP), no bairro Aparecidinha.Os menores que eram atendidos pelo padre foram encaminhados para outras entidades assistenciais. A igreja continuava fechada nesta quinta-feira. Bompani negou as acusações de pedofilia.Ele disse que suas intimidades com os menores eram apenas brincadeiras e podem ter sido mal interpretadas. O advogado contratado para defendê-lo, Abramo Rubens Cuter, afirmou que o padre pode estar sendo vítima de uma armação montada por um ex-funcionário da igreja que foi demitido e perdeu uma ação trabalhista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.