Arquidiocese de Uberaba/Divulgação
Arquidiocese de Uberaba/Divulgação

Padre suspeito de estuprar garoto com deficiência é afastado

Religioso de 28 anos, de Frutal (MG), foi preso em flagrante em Caldas Novas (GO); adolescente disse que foi abusado em sauna

Rene Moreira, Especial para o Estado

06 de junho de 2016 | 14h22

FRANCA - A Arquidiocese de Uberaba, no Triângulo Mineiro, afastou nesta segunda-feira, 6, o padre Fabiano Gonzaga, de 28 anos, de Frutal, também em Minas. Ele foi preso em flagrante no sábado, 4, em Caldas Novas, em Goiás, por abuso sexual de um adolescente de 15 anos, que tem problemas mentais.

Segundo a denúncia, o garoto estava em uma sauna e teria sido obrigado a fazer sexo oral no padre. Ele nega que isso tenha ocorrido, mas acabou autuado. O relato de um psicólogo, que conversou com a suposta vítima, e outros indícios - como imagens pornográficas em seu celular - teriam pesado no flagrante.

O caso foi descoberto após o garoto contar para a mãe que foi trancado na sauna do clube onde estavam e obrigado a se relacionar com o sacerdote. A Polícia Militar foi chamada, e o caso então acabou na delegacia e no indiciamento pelo crime de estupro de vulnerável.

O religioso alegou à polícia ter mesmo conversado com o adolescente. Mas que saiu do local assim que notou que ele tinha problemas.

Afastamento. A Arquidiocese de Uberaba divulgou nota para dizer que repudia todo tipo de violência e que aguarda a apuração dos fatos pelas autoridades competentes. A arquidiocese também alegou que o padre, que foi ordenado há pouco mais de dois anos, está agora "vedado no exercício do ministério presbiteral ou qualquer outro encargo eclesiástico".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.