Paes diz que não negocia mais com sindicato de professores

Prefeito se reuniu com conselho de docentes, funcionários, diretores de escolas e pais de alunos em um 'novo canal de diálogo'; greve já dura 52 dias

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

08 Outubro 2013 | 15h42

RIO - Depois de quatro horas reunido com o conselho de professores e funcionários, de diretores e de pais de alunos das escolas municipais, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) disse que abriu "um novo canal de diálogo" para discutir os problemas da educação no município. Ele deixou claro que não pretende continuar o diálogo com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe). "Diálogo pressupõe reivindicações viáveis. A direção do sindicato radicalizou. Eles querem até nomear a secretária da Educação no meu lugar", afirmou o prefeito depois da reunião.

Em greve há 52 dias, os professores ligados ao Sepe reivindicam a saída da secretária municipal da Educação, Cláudia Costin. Segundo o prefeito, a greve já chegou a atingir quase 20% dos 42 mil professores da rede, mas agora, pelas contas de Paes, cerca de 10% estão parados. "É uma proporção bem menor, mas é um número significativo. É preciso pensar nas crianças que estão sem aula", afirmou Paes.

O prefeito comentou o quebra-quebra no centro da cidade promovido por mascarados, depois de uma passeata dos professores. "Professor da rede municipal não faz aquilo, não pratica vandalismo", disse o prefeito.

Paes evitou comentar a demora na ação da PM. "Não sou comentarista de segurança", respondeu.

Mais conteúdo sobre:
protestosprofessoresRioPaes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.