Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Paes sugere que não haja rebaixamento no carnaval do Rio este ano

Para prefeito, não seria justo com escolas de samba que tiveram alegorias incendiadas na Cidade do Samba

Bruno Boghossian, O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2011 | 11h16

RIO - O prefeito do Rio, Eduardo Paes, chegou à Cidade do Samba por volta das 10h30 desta segunda-feira, 7, para conferir os estragos provocados pelo incêndio que atingiu os barracões de três escolas e da sede da diretoria da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa). Ele defendeu que neste ano não haja rebaixamento para o Grupo de Acesso.

 

Veja também:

linkIncêndio causa desespero nas escolas de samba

linkDois integrantes da Portela são detidos após confusão

 

Paes destacou, no entanto, que a decisão caberá à Liesa. "Minha opinião é que não devemos ter nenhuma escola caindo (para o Grupo de Acesso) no carnaval deste ano. Essas escolas não têm capacidade de competir com as outras", defendeu o prefeito, que é portelense e desfila na bateria da agremiação.

 

O prefeito se reúne com a direção da Liesa e com presidente de escolas de samba. Ele garantiu que Portela, União da Ilha e Grande Rio desfilarão neste carnaval e que a Prefeitura vai empenhar recursos para que as alegorias e fantasias destruídas sejam refeitas.

 

"Vamos buscar nos próximos 30 dias ajudar de todas as formas possíveis. É óbvio que não dá para recuperar em um mês o trabalho de um ano inteiro, mas elas vão entrar na avenida de qualquer jeito. Com a raça dessa gente e a força do carnaval carioca", disse o prefeito ao chegar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.