Páginas virtuais e rede ideológica de arrecadação estão na mira do PV

Com um vice dono de uma fortuna de R$ 1,26 bilhão, e uma rede potencial de pequenos contribuintes ideológicos nas classes A e B, a candidatura de Marina Silva, pelo PV, imagina arrecadar R$ 90 milhões para fazer a campanha à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2010 | 00h00

Guilherme Leal, o vice, que também é dono da Natura, ficou encarregado de conversar com outros empresários ligados à causa verde para tentar obter doações deles.

Marina tem dito que sua campanha vai inovar em todos os sentidos. Um deles é a criação de comitês chamados de "Casa de Marina", em que pessoas transformam sua moradia num espécie de mini comitê e convidam os vizinhos a entrar na campanha.

Outras inovações dizem respeito à doação de dinheiro para a campanha por intermédio da internet e das páginas de relacionamento social.

Para os que querem fazer doação pela internet, a campanha de Marina avisa que por enquanto devem ser direcionadas ao Partido Verde. "O fundamental, diz a página de Marina na internet (www.minhamarina.org.br), é fazer doações ao PV, já permitidas por lei."

A mesma página na internet oferece as formas de colaborar via Facebook, Orkut e Twitter. Em todos, é lembrado que o colaborador pode enviar links para os amigos para formar o maior número de militantes voluntários da campanha. Também é oferecido ao colaborador o direito de dar palpites no programa de governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.