Pagodeiro Belo não irá para a prisão

O cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, continuará livre, mesmo com a decisão da ministra Ellen Gracie Northfleet , do Supremo Tribunal Federal (STF), que cassou liminar concedida pelo presidente da corte, ministro Marco Aurélio Mello, que o tirara da prisão no último dia 11. O desembargador Carmine Savino Filho, da 7ª Câmara Criminal, informou nesta sexta-feira que a determinação de Ellen Gracie não muda a situação do pagodeiro, que já tinha recebido da mesma câmara, em 30 de julho, o direito de responder o processo em liberdade.Segundo Savino Filho, que foi o relator do habeas-corpus concedido a Belo, até quinta-feira ele tinha duas decisões judiciais que garantiam sua liberdade. Agora resta uma.Acusado de porte ilegal de arma e associação para o tráfico de drogas, o cantor se entregou à Justiça em 5 de junho e ficou preso por 36 dias na carceragem da Delegacia Anti-Seqüestro (DAS), no Leblon.Assessores informaram que ele estava em São Paulo hoje e só voltará para o Rio à noite. Seu empresário, Cláudio Lisa, afirmou que nos próximos dias o pagodeiro fará shows em São Gonçalo, no Grande Rio, e em Tanguá, na Região dos Lagos.Enquanto o presidente do STF, Marco Aurélio Mello, entendeu que Belo é réu primário, tem bons antecedentes e endereço fixo, além de ficar exposto publicamente pela atividade profissional, Ellen Gracie disse que não caberia habeas-corpus ?contra decisão monocrática de ministro do Superior Tribunal de Justiça?. O despacho da ministra restabeleceu o entendimento do ministro do STJ Felix Fischer, de junho, que mantinha Belo preso.Belo foi preso graças a uma escuta telefônica feita pela polícia em 4 de abril, que gravou conversa entre ele e o traficante Valdir Ferreira, o Vado, chefe da quadrilha que domina o comércio de drogas no complexo de favelas do Jacarezinho, zona norte do Rio. As fitas mostraram o bandido pedindo dinheiro ao cantor para comprar drogas. Em troca, afirma a polícia, Belo queria um fuzil AR-15. Procurados pela reportagem, os advogados do cantor não retornaram as ligações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.