Pai acusa francês no caso da brasileira desaparecida

O pai da estudante paranaense Carla Vicentini, de 22 anos, desaparecida desde o dia 9 em Newark, nos Estados Unidos, Orlando Vicentini, acusou, em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, o francês naturalizado americano José Fernandes, que mora em Goioere, de ter assediado sexualmente sua filha uma semana antes de ela desaparecer. Fernandes é dono do apartamento que estava alugado para Carla e sua amiga, a brasiliense Maria Eduarda Ribeiro. A Polícia Federal está investigando Fernandes por possível participação no envio ilegal de brasileiros aos Estados Unidos. O pai de Carla também acusa-o de ter chegado ao Brasil no dia 14 e não ter procurado a família para comentar sobre o desaparecimento da estudante. Familiares não quiseram comentar detalhes dessas acusações, mas as confirmaram. À Gazeta do Povo, Fernandes negou as acusações, afirmando ter dado a notícia sobre o desaparecimento. Ele também rejeitou as acusações de assédio e afirmou ter entrado com processo contra Orlando Vicentini. O aluguel do apartamento para Carla, segundo ele, foi feito a pedido do pai da estudante, com quem tem uma dívida por Orlando ser contador de seu posto de combustível.

Agencia Estado,

25 Fevereiro 2006 | 19h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.