Pai de Eloá tem 15 dias para se apresentar

Intimado por um juiz de Alagoas, poderá ser julgado à revelia

Ricardo Rodrigues e Simone Menocchi, O Estadao de S.Paulo

31 Outubro 2008 | 00h00

A Justiça de Alagoas estipulou prazo de 15 dias para que o pai de Eloá Pimentel, o ex-cabo da PM Everaldo Pereira dos Santos, apresente-se. Caso contrário, será levado a julgamento à revelia pelo assassinato de um delegado da Polícia Civil do Estado, segundo o juiz Geraldo Amorim, titular da 9ª Vara Criminal de Maceió, "ainda este ano ou no mais tardar no primeiro semestre de 2009". Segundo ele, Everaldo responde por duplo homicídio doloso, tendo como vítimas o delegado Ricardo Lessa, irmão do ex-governador de Alagoas Ronaldo Lessa (PDT), e seu motorista, Antenor Carlota da Silva, assassinados a tiros em outubro de 1991. Foram intimados também o ex-cabo da PM Cícero Felizardo dos Santos, o ex-sargento da PM José Carlos de Oliveira, os ex-soldados Aderildo Mariz Ferreira, Edgar Romero de Morais Barros e Valdomiro dos Santos Barros, além do policial civil Valmir dos Santos. O pai da Eloá e os demais são acusados de pertencer à "gangue fardada", grupo de extermínio comandado pelo ex-tenente coronel da PM Manoel Francisco Cavalcante, que cumpre pena por outros crimes no Presídio Militar do Rio de Janeiro. Contra Everaldo pesam outros crimes, até mesmo em Pernambuco, para onde o diretor-geral da Polícia Civil de Alagoas, Marcílio Barenco, viajou anteontem para colher informações. Lindemberg Alves, assassino de Eloá, recebeu ontem visita dos advogados Ana Lúcia Assad e Edson Pereira Belo da Silva, na P-2 de Tremembé (SP). Eles disseram que "foram dar ciência ao cliente sobre as denúncias oferecidas e acatadas contra ele". Assad informou que Alves manteve contato com presos e não sofreu represálias. Segundo ela, o assassino de Eloá fica sozinho em uma cela do Pavilhão 1, para presos sem curso universitário. Com a saída do regime de observação, Alves está apto a receber visitas. Segundo a advogada, ainda há algumas burocracias pendentes, mas "tudo indica que ele já receberá visitas nesse fim de semana".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.