Pai de João Hélio aprova redução da maioridade penal

O comerciante Elson Vieites, pai do menino João Hélio, arrastado até a morte por sete quilômetros por assaltantes de carro, comemorou a aprovação, nesta quinta-feira, 26, na Comissão de Constituição e Justiça da redução da maioridade penal. "É uma primeira etapa. Espero que os deputados continuem usando o bom senso e aprovem a lei", afirmou. Entre os cinco jovens envolvidos no crime está o adolescente E., de 16 anos. João Hélio, de 6 anos, ficou preso ao cinto de segurança do banco de trás, quando os criminosos arrancaram com o Corsa de sua mãe. Segundo testemunhas, E. sentou-se no banco traseiro. A polícia não tem dúvidas de que o menor percebeu que João Hélio estava sendo arrastado. No mês passado, o rapaz foi condenado à pena máxima para adolescentes infratores - a internação. "Todas as mobilizações que temos feito é para pedir a redução da maioridade penal, para que a impunidade não prevaleça. E é bom saber que nosso esforço teve repercussão positiva", afirmou Vieites, que tem se reunido com outros pais de vítimas da violência em manifestações pela cidade. "O clamor da sociedade, nossos anseios, estão sendo ouvidos".

Agencia Estado,

26 Abril 2007 | 22h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.