Pai de Larissa vai processar o Estado

O comerciante Ivanilton Francisco de Souza, de 32 anos, pai de Larissa Alves de Souza, que morreu na troca de tiros entre polícia e traficantes, disse nesta segunda-feira que vai mover uma ação contra o governo do Estado, caso seja provado que o tiro que matou a filha partiu da polícia. Souza disse que será uma ação por danos morais, não por indenização. "O dinheiro não paga a vida da minha filha." Ele e a mãe de Larissa, Doracy Maria Alves, de 33 anos, estão separados. Souza é dono de um bar, e Doracy é empregada doméstica. Eles têm mais dois filhos, David, de 9 anos, e a menina Days, de 12. Souza mora a 800 metros da casa de Doracy, na Rua Alba, e estava na cama quando uma cunhada lhe deu a notícia de que Larissa havia sido baleada e levada ao Hospital Santa Marina.Quando chegou à unidade de saúde, foi informado de que a menina estava morta. "A revolta é muito grande", disse. A mãe da menina não quis dar declarações. Segundo uma cunhada, ela estava em choque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.