Divulgação/Sinpoljuspi
Divulgação/Sinpoljuspi

Pai de menino encontrado em cela no PI também cumpriu pena por estupro

Condenado a 10 de anos de prisão pelo crime contra uma menina de 12 anos, ele disse ser compadre de detento

Luciano Coelho, Especial para o Estado

03 Outubro 2017 | 18h25

TERESINA - O pai do menino de 13 anos encontrado dentro da cela na Colônia Agrícola Penal Major César Oliveira, em Altos, no Piauí, foi identificado como sendo o agricultor Gilmar Francisco Gomes, de 48 anos, e também já cumpriu pena por estupro. Ele admitiu ao delegado Jarbas Lima, da 14ª Delegacia de Altos, ter deixado o filho na companhia do detento José Ribamar Pereira Lima, de 65, por serem compadres.

+++ Menino de 13 anos é encontrado em cela de preso acusado de estupro no Piauí

O delegado abriu inquérito para apurar o caso e está colhendo o depoimento dos familiares e do preso.

"Estou muito arrependido. E não sabia que ia dar essa confusão. Eu deixei o meu filho a pedido dele, porque eu ia voltar no outro dia", informou Gilmar em depoimento ao delegado, ao lado da mãe da criança, a dona de casa Sebastiana Rodrigues Gomes, de 48 anos, que não tinha concordado com a permanência do filho no presídio.

Gomes já foi condenado a 10 anos de prisão pelo crime de estupro em 2012 contra uma menina de 12 anos no município de Alto Longá, no Piauí. Ele está em liberdade há seis meses e disse que voltou ao presídio para visitar o amigo.

A polícia apura os crimes de corrupção de menor, abandono de incapaz e estupro de vulnerável. De acordo com o secretário de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira, outros oito presos estavam na cela com Lima.

Segundo o chefe da Assistência Militar da Secretaria de Justiça, Luís Antônio Pitombeira, a lei não proíbe a visitação de crianças em presídios se elas forem parente do detento. O secretário disse ainda que o controle de visitas ficará mais rigoroso e que a pasta tomou providências com medidas administrativas e a proibição da entrada de crianças no sistema prisional.

+++ Namorado atraiu menina vítima de estupro coletivo no Rio, diz polícia

Ele não soube precisar a pena de Lima, mas confirmou que ele estava preso por crime sexual e estava na Colônia Agrícola em progressão do regime. O detento foi acusado e condenado pela prática de dois estupros, um em 2008 e outro em 2009.  

O conselheiro tutelar Djan Moreira informou que o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Piauí se reuniu nesta terça-feira com o Conselho Tutelar de Teresina pedindo providências. Nesta quarta-feira, 4, as duas entidades terão uma audiência com o secretário de Justiça do Estado, Daniel Oliveira, para a adoção de providências que o caso requer. 

Moreira afirmou que a conselheira Nazaré Castelo Branco está acompanhando o caso e que o exame de corpo delito realizado na criança não constatou a conjunção carnal, mas fala em atos libidinosos e estupro de vulnerável.

"O adolescente está negando, mas está sendo apurado. Existem várias versões para esse fato. Eles disseram que são amigos do preso e que a mãe do menor lava a roupa dele. De qualquer forma, está errado uma criança dentro do presídio e permanecer lá. É a primeira vez que vimos isso", finalizou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.