Marcos Arcoverde/AE
Marcos Arcoverde/AE

Pai de Sean ainda tem esperança de passar Natal com filho

'Meu filho está sofrendo e perdendo sua inocência de criança. Ele não merece isso', afirma David Goldman

Clarissa Thomé, de O Estado de S. Paulo,

18 de dezembro de 2009 | 16h22

O norte-americano David Goldman disse na tarde desta sexta-feira, 18, que tem esperança de passar o Natal com o filho Sean, de 9 anos. Sem entrar em detalhes sobre a estratégia que seus advogados vão usar, ele afirmou que espera que a liminar obtida pela família brasileira no Supremo Tribunal Federal (STF) seja suspensa. 

 

Veja também: 

linkEUA lamentam decisão do STF que mantém Sean no Brasil

link'Foi uma covardia', diz pai sobre decisão do STF 

 

Goldman disse ainda que tem dificuldade de manter contato com o filho e mostrou uma carta endereçada a Sean em 16 de novembro, que foi devolvida pelos Correios. "Eu não entendo: é longo, é cruel, é trágico, é triste. O meu filho está sofrendo e perdendo a sua inocência de criança. Ele não merece isso." A viagem de Goldman ao Rio é patrocinada pela rede americana NBC.

 

Ontem, o ministro Marco Aurélio Mello concedeu liminar suspendendo decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) da 2.ª Região que determinava a entrega do garoto ao Consulado dos EUA no Rio, em um prazo de 48 horas. O apelo foi feito pela avó materna, Silvana Bianchi Carneiro Ribeiro.

 

O pai do menino chegou ontem ao País. Nesta sexta, o deputado republicano de Nova Jersey Chris Smith, que acompanha Goldman na viagem, disse que o pai irá recorrer da decisão, informaram as redes americanas CNN e ABC. Segundo o programa Good Morning America, da ABC, Smith afirmou que Sean ainda pode voltar aos EUA para as festas de fim de ano.

 

Já o defensor da família brasileira do menino, Sérgio Tostes, disse que a decisão do STF foi um "alívio" e vai entrar com recurso contra a decisão de anteontem do TRF. A sentença de primeira instância também havia sido favorável a Goldman. Tostes ressaltou que ele poderá visitar o filho no Natal.

 

Sean vive no Brasil desde 2004. Ele viajou dos Estados Unidos para o Rio com a mãe, a estilista Bruna Bianchi. Ela decidiu separar-se de David Goldman e não voltou para os Estados Unidos. Posteriormente se casou com o advogado João Paulo Lins e Silva. Em agosto do ano passado, Bruna morreu após o parto da segunda filha. De lá para cá, Sean vive com o padrasto, que disputa a guarda do menino com o pai biológico.

 

Texto atualizado às 17h15.

Tudo o que sabemos sobre:
Sean Goldman

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.