Pai diz que filho invadiu quartel para fugir de tiroteio

O pai de um dos supostos envolvidos na tentativa de invasão do 24º Batalhão de Infantaria Blindada, que se identificou apenas como Luiz Antônio, saiu do quartel, por volta de 13h00 e disse que o seu filho, de 16 anos, está bem e "não pode ficar preso no local". Segundo ele, os jovens estavam fugindo de um tiroteio que houve na favela próxima ao batalhão, chamada Roquete Pinto, no Complexo da Maré. Ele falou que vai assinar um termo de responsabilidade para tentar liberar o filho. As informações iniciais dão conta que três pessoas tentaram invadir o batalhão na madrugada de hoje. Um deles teria conseguido pular o muro, foi baleado e encaminhado ao Hospital Central do Exército (HCE). Outros dois estão detidos no próprio batalhão.

Agencia Estado,

07 de setembro de 2004 | 13h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.