Pai e filho que comandavam quadrilha de seqüestradores são presos em Goiás

A Polícia de Goiás prendeu nesta quarta-feira, 20, José Pins, de 53 anos, e o seu filho, Herieverson Rogério Pins, de 29 anos, que comandavam uma quadrilha especializada em seqüestros. Nos casos até agora confirmados, dois empresários foram seqüestrados em São Paulo e outros três em Goiás. Todos foram atraídos pela quadrilha em suas cidades de origem (Goiás, Mato Grosso, Paraná e até a Paraíba), com a proposta de fechar negócios vantajosos."Eles faziam buscas pela internet, descobriam detalhes da empresa, do empresário e dos produtos que iriam oferecer", disse o delegado Juraci José Pereira, do Grupo Anti-Seqüestro (GAS). "Na hora de fechar o negócio e fazer o pagamento pessoalmente, anunciavam o seqüestro e o pedido de resgate à família", explicou.Entre os relatos da Polícia, está o de um empresário paraibano - os nomes dos seqüestrados ainda não foram divulgados - que foi atraído até Goiás para compra de toneladas de alho a preços abaixo do custo. Outro, goiano, foi pego na hora de fechar a compra de tecidos em São Paulo. Num terceiro caso, máquinas agrícolas com preço de ocasião fora o chamariz. "Ganhei muito dinheiro", disse José Pins para a Polícia. "Só com a minha ex-mulher gastei perto de R$ 600 mil", disse.Além de José Pins e seu filho, a Polícia de Goiás prendeu seis membros do bando e apreendeu uma moto e um veículo. Entre eles, pessoas que moravam nas cidades paulistas de Ribeirão Preto, Assis, Marília, Bebedouro e Bauru, e que emprestavam suas contas bancárias para receber os depósitos efetuados para pagamento de resgate."A quadrilha tinha três células: uma para captura e cativeiro, outra para fornecimento das contas-correntes e a terceira, que era responsável pelo recebimento do dinheiro", explicou o delegado Juraci Pereira. "O pai atraía a vítima, o filho gerenciava as células e os dois controlavam a quadrilha", disse.Juntos, os paulistas José e Herieverson Pins, que moravam em São José do Rio Pardo, no interior paulista, têm 20 mandados de prisão nos Estados de São Paulo, Goiás e Paraná por prática de crimes diversos como seqüestro, estelionato, furto, uso de documento falso e porte ilegal de armas. Herieverson é fugitivo da cadeia de Campo Mourão, no Paraná, e ambos, pai e filho, disseram à Polícia de Goiás que já trocaram tiros com a polícia na capital paulista. "A minha ficha policial tem mais de 10 metros", disse José Pins para o escrivão do GAS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.