Pai e madrasta da menina Joanna participam de audiência no Rio

Ambos são acusados pela morte da criança, que tinha hematomas no corpo quando foi levada a hospital

Priscila Trindade, Central de Notícias

10 de janeiro de 2011 | 13h22

SÃO PAULO - André Rodrigues Marins e Vanessa Maia Furtado, respectivamente, pai e madrasta de Joanna Marcenal participam nesta segunda-feira, 10, da primeira audiência do processo sobre a morte da menina. Eles são acusados de tortura e homicídio qualificado. Outras testemunhas serão ouvidas, mas o Tribunal de Justiça do Rio não soube informar o número de pessoas.

 

A menina, de 5 anos, morreu no dia 13 de agosto de 2010, em decorrência de uma meningite viral contraída do vírus da herpes, mas laudo do Instituto Médico-Legal (IML) aponta que ela sofreu maus-tratos que agravaram a doença e a levaram à morte.

 

A criança estava sob a guarda do pai quando foi levada, em julho, ao Hospital Rio Mar, na Barra da Tijuca, e atendida por um falso médico. Depois disso, ela foi levada a outro hospital, onde passou um mês em coma. A menina chegou na primeira unidade com hematomas nas pernas e nádegas.

 

O pai de Joanna foi preso no dia 25 de outubro. Vanessa responde o processo em liberdade. Se condenados, o casal pode pegar pena de até 40 anos de prisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.