Pai e madrasta são acusados de matar os dois filhos

Segundo a polícia, ela confessou o crime; garotos de 13 e 12 anos foram queimados e esquartejados

Luísa Alcalde, do Jornal da Tarde,

06 de setembro de 2008 | 23h03

O pai e a madrasta de dois adolescentes foram presos neste sábado, 6, em Ribeirão Pires, no ABC paulista, acusados de matar asfixiados, colocar fogo, esquartejar e jogar no lixo os corpos dos garotos de 13 e de 12 anos, porque eles teriam fugido de casa na semana passada, cansados de maus-tratos.  Segundo a polícia, a madrasta deles, a dona de casa Eliane Aparecida Antunes Rodrigues, de 36 anos, confessou o crime na delegacia do município. Mas o pai, o vigia noturno João Alexandre Rodrigues, de 40 anos, durante depoimento, negou participação nos assassinatos. Os dois estão presos. Na última quarta-feira, João Victor dos Santos Rodrigues, de 13 anos e o irmão, Igor Giovani dos Santos Rodrigues, de 12 anos, foram encontrados por agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) de Ribeirão Pires portando dinheiro e perambulando pelas ruas da cidade. Abordados pelos policiais, os dois meninos disseram que usariam o dinheiro para fugir de casa, porque estavam cansados de tanto apanhar do pai e da madrasta, além de sofrer todo tipo de maus-tratos.  Os GCMs encaminharam os garotos para o Conselho Tutelar de Ribeirão Pires, que entendeu que os dois deveriam ser encaminhados novamente para casa. Quando eles chegaram, foram mortos asfixiados com sacos plásticos de lixo. Depois, o pai e a madrasta, segundo a polícia, tentaram colocar fogo nos corpos, mas teria faltado tíner, produto químico que seria usado para carbonizar os meninos. Lixeiro O vigia noturno e a mulher esquartejaram os corpos, colocaram os pedaços em sacos plásticos e jogaram na lixeira em frente à casa para que fossem levados pelo caminhão de lixo, que passa na sexta-feira à noite, por volta das 21 horas no bairro. Um lixeiro que recolhia os sacos encontrou uma das pernas de um dos garotos e imediatamente pediu para o motorista do caminhão se dirigir à delegacia da cidade. No Distrito Policial, naquele momento, um GCM registrava outra ocorrência de crime, quando ouviu o relato do lixeiro e lembrou do caso dos meninos que haviam fugido de casa na semana passada. Ele passou então o endereço do pai e da madrasta para os policiais. O pai foi preso, no início da manhã, no local do seu emprego e a madrasta, na casa da família. A Polícia de Ribeirão Pires ainda investiga a real motivação para os crimes bárbaros, mas, segundo delegado que atendeu à ocorrência, aparentemente o que teria irritado e deixado enfurecido o vigia noturno teria sido mesmo a fuga dos adolescentes. Foram abertos quatro boletins de ocorrência sobre o caso. Os dois acusados prestaram depoimento durante todo o sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
crimeRibeirão Pires

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.