Pai é suspeito de abusar e causar morte de filha de 30 dias no Paraná

Homem de 38 anos foi autuado por estupro de vulnerável com morte em Guarapuava, no sul do Estado

Evandro Fadel, Agência Estado

23 Março 2012 | 17h18

CURITIBA - A Polícia Civil de Guarapuava, no sul do Paraná, prendeu na quinta-feira, 22, Ari Moreira, de 38 anos, sob acusação de ter abusado sexualmente da filha de apenas 30 dias, o que pode ter sido a causa da morte da criança. Ele já tinha sido condenado na cidade vizinha de Prudentópolis por estupro de uma criança de 11 anos. Moreira nega a prática do crime contra a filha.

Os familiares contaram à polícia que, na quarta-feira pela manhã, a menina chorava e foi levada a um posto de saúde. À tarde, ela foi conduzida a uma unidade de urgência médica municipal e, posteriormente, a um hospital.

Na manhã seguinte, o bebê morreu. Policiais foram ao hospital e orientaram o encaminhamento do corpo ao Instituto Médico Legal (IML). Enquanto isso, Moreira foi levado à delegacia para contar o que havia acontecido na casa. De acordo com o delegado, ele disse que foi visitado no dia anterior, mas que a pessoa não tinha chegado perto do bebê.

Sua mulher, com quem vive há cerca de um ano, e as duas enteadas, que têm menos de dez anos, também prestaram depoimento. A mulher negou que a família tivesse recebido visitas.

O delegado disse que o abuso sexual foi confirmado. O preso foi autuado por estupro de vulnerável com morte.

Mais conteúdo sobre:
estuprobebêGuarapuavaParaná

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.