País tem atraso em 24% dos voos nesta manhã

Outros 42 voos (4,2%) foram cancelados ao longo da manhã; atraso da Gol causa tumulto no Rio

Solange Spigliatti, da Central de Notícias

02 de agosto de 2010 | 12h57

SÃO PAULO - Durante a manhã desta segunda-feira, 2, primeiro dia de volta às aulas, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) registrou atrasos de mais de meia hora em quase 24% dos voos programados para o período até as 12 horas.  

 

Veja também:

linkCancelamento de decolagens da Gol causa tumulto no Rio

 

Além dos atrasos, 242 de um total de 1.012 voos nacionais programados, outros 42 voos (4,2%) foram cancelados ao longo da manhã em todo o país, segundo boletim da Infraero.

 

Segundo a Infraero, da 0h às 12 horas, o índice de atraso de voos domésticos nos aeroportos da Rede Infraero registrou 23,9%. Em Brasília (DF), 21,4% de atrasos; em Congonhas (SP), 26,6%; 24,7% de atrasos em Guarulhos (SP). O Galeão (RJ) registrou 42,1% de atrasos no período.

 

Gol. Entre os voos previstos para a manhã de hoje, os da empresa aérea Gol registraram 28 voos (7,7%) de cancelamentos e 185 (51,1%) do total de 362 previstos registraram atrasos. A companhia enfrentou problemas com cancelamentos e atrasos acima do normal durante o fim de semana.

 

Segundo a empresa, os atrasos de hoje são, ainda, um reflexo do intenso tráfego aéreo na sua malha verificado na última sexta-feira, quando a empresa precisou transferir algumas de suas partidas programadas do Aeroporto de Congonhas (São Paulo), que fecha às 23h, para o Aeroporto Internacional de Guarulhos.

 

Alguns membros das tripulações atingiram o limite de horas de jornada de trabalho previsto na regulamentação da profissão e foram impossibilitados de seguir viagem, gerando um efeito em cadeia. Além disso, segundo a Gol, o fim de semana foi atípico, com retorno de férias escolares, e num momento em que a empresa finalizava a implementação de um novo sistema de processamento das escalas dos pilotos e comissários.

 

De acordo com a Gol, foram acionados tripulantes extras e destacadas equipes de monitoramento nos aeroportos, especialmente designadas para tomar medidas emergenciais de atendimento, caso seja necessário.

 

Segundo nota da companhia, a empresa vem prestando atendimento e toda a assistência necessária aos usuários, conforme determina a legislação estipulada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pretende regularizar o mais rápido possível as suas operações.

 

Texto atualizado às 14h22.

Tudo o que sabemos sobre:
Golsetor aéreoaeroportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.